terça-feira, 27 de dezembro de 2011

na elipse silenciosa de um parágrafo

 
era apenas cinco letras

na alínea da caligrafia de deus

o sol ponha-se longe demais

li-te assim,

ausente, naquele lugar,

alguém a quem falar,

fiz de conta que o sol

... afinal

era rumo da ortografia

sempre mais

na elipse silenciosa de um parágrafo.

Texto
Leandro Sá
(25-12-2011)

4 comentários:

J. disse...

Sempre muito belo o seu blogue. abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes sentimo-nos assim...

mas que não seja um ponto final...

bom ano

um beij

(a foto é muito bonita)

tb disse...

Que seja um silêncio sempre tão falante o que ouçam os meus ouvidos por aqui...
Gosto de tudo, Nuno. Porque aqui é um lugar encantado.
Beijinho.

AnaMar (pseudónimo) disse...

e.c.a.n.t.a.m.e.n.t.o.