segunda-feira, 9 de maio de 2011


E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

David Mourão-Ferreira

7 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Basta um segundo para que,
por vezes:
- quantas vezes?
--------------------
Que bom trazer aqui este grande poeta, o David Mourão Ferreira...
-
Por vezes............
Às vezes.............
- Quantas vezes?
----------
Um abraço.

Graça Pires disse...

O David é sempre tão bom de ler. Foi bom encontrá-lo aqui.
Beijos.

Graça Pires disse...

E por vezes nos perdemos dentro de nós. E por vezes nos encontramos sem nos esperarmos...
Um belo poema!
Beijos.

tb disse...

e por vezes...tantas vezes...
Beijinhos, Nuno.

Eduardo Aleixo disse...

E mais uma vez vim reler o poema de David, magnífico, e aproveito para te desejar um boa semana. Um abraço.

Anónimo disse...

beijo. por este David...:) :))))))))




imf.

Luísa disse...

Belíssimo!
Obrigada pela partilha!
Boa semana...