sábado, 11 de dezembro de 2010

Boa noite, assim


Boa noite,
...:

“ assim como plátano volto ao lapso do tempo. é de síntese e de respostas que nos inscrevo. viventes evadidos. os anjos são apenas intervalos que fazem do mundo um lugar de berços. vadios. falésias em sulcos que inutilizam o inexprimível. era uma vez as mãos. tão nuas. as  minhas mãos na espessura do texto que é pastor. e pasto de ais.”

De
Isabel Mendes Ferreira
in As Lágrimas Estão Todas na Garganta do Mar,
Lisboa, 2010, p. 71.

Sem comentários: