terça-feira, 9 de novembro de 2010

Modulação de um texto

da rápida pressa

manga em mãos desaperta

a janela impressa

uma metamorfose incerta

meta que era essa?

nua tipografia cavada e aberta

de uma espera rente à lente

simula e desespera lua deserta

que a lavra desmente

a cava da cava palavra desperta

quando a fátua corrente prende

Nuno Teixeira de Sousa
08-11-2010

1 comentário:

. intemporal . disse...

.

. grato pela visita pro.cedente deste canto e também re.canto onde canta a poesia sem que seja forçosa a simetria .

.