sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Procuro as horas dentro dos segundos



Na ara do único e eterno instante
faz pranto o círculo quebrado em dois
um arco de palavras que me chamam

Neste tarde
Caminho que desabita o texto
Que desaba os dias na deriva do contra-texto
Neste ainda tarde mais
Procuro as horas dentro dos segundos
As palavras...
Partem para amanhã no manto de uma manhã despovoada na orla dos pinheiros

Nuno Teixeira de Sousa
15-10-2010

1 comentário:

© Piedade Araújo Sol disse...

achei o poema muito bom...um pouco nóstalgico mas com estrofes muito bonitas.

procuro as horas dentro dos segundos...

lindo!

um beij