segunda-feira, 26 de julho de 2010

O maestro e o figurante - Este é o meu palco

 
— Dobras do olhar;


redundâncias do olhar;
 
 
cansaço do olhar no olhar;
 

escrita de gestos ínfimos que se misturam com sons mínimos do olhar;
 

réplicas da alma presas do olhar;


— Este é o meu palco, com elas desenhei o meu deus total — interpôs o figurante.


— Desenhaste este palco com as linhas invisíveis do teu sonho — afirmou o maestro. — Seremos sempre a lateralidade do centro. Centro que não tem lugar aqui ou além.


— Maestro, dizes para lançar nos mastros os trajes dos meus olhares, mas falta o vento que está no respirar dos lobos.
— Podemos sentar os lobos no lugar dos remadores.
— Faltam-lhes os remos que trazem o alimento.
— Partir é sempre uma encruzilhada...
— Princípio onde se oculta a vera senda que às minhas mãos não se revela o caminho a escolher. Mas tu, maestro, versado nos versos do devir, conhecedor de todos os contrapontos da música total, deixas-me preso de pés e mãos neste epicentro sem centro e sem lateralidade.
— Sou feito de gesto do escultor no seu sonho maior de moldar o barro.
— Maestro, és onde inscrevo o meu sonho.
— Bebo a água nas tuas mãos, a tua sede é minha sede.
— E, quando barca lunar vier e partir para a longa noite onde adormece a água do rio?
— Assim, também partirei, na tua lateralidade estarei. A mim compete-me ser, só e unicamente, deus total, forma completa em mim mesmo e sem exterior para onde ir. Em ti não há fuga possível de ti próprio a não ser tu completamente. Por isso não importa a tua lateralidade num epicentro sem centro, este é o teu palco onde descreve o teu nome totalmente inscrito em mim.
— Mas isso... é paixão dos passos dos meus dias.
— Assim será por teres abraçado a luz do dia.

Nuno Teixeira de Sousa
23-04-2010

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

partir é uma encruzilhada
chegar é uma meta.

a um palco chego e desenhei meu cenário
nem sei se tenho alguem na plateia
mas do meu sonho
farei o meu canto
onde eu proprio serei o
actor numero um.

e oiço os aplausos
na minha imaginação febril
de actor em palco meu.

um bom fim de semana!

gostei muito deste post...

beij

Canto Turdus Merula disse...

Piedade A. Sol,


“O sonho genesíaco

Junto à luz nocturna das estrelas
Onde dormem os arcanjos em ermo sono
Caminho solitário deserto secreto”

Em http://cantoturdusmerula.blogspot.com/2010/06/caminho-solitario-deserto-secreto.html


“Da minha deserta janela
[...]
Inventarei um secreto jogo inocente promessa a uma criança distante
[…]”

Em http://cantoturdusmerula.blogspot.com/2010/07/rebatido-canto.html



Grato pela sua sempre agradável passagem por este recanto