sábado, 26 de junho de 2010

Yann Tiersen - Comptine d'un autre ete : L'apres midi


4 comentários:

maré disse...

... e atravessar a noite.
despir o ombro embriagado das primeiras névoas
a ferrugem
que arrisca ao sono definitivo.
desoxidar as mãos
e abrir à luz do meio dia
o corpo in revelado da música.

saber-se obsessivo pássaro
em grito
silábico.
abismos de azul.



obrigado. de novo.

© Piedade Araújo Sol disse...

e que seria do mundo sem múscia?!

obrigada!

uma boa semana!

beij

Canto Turdus Merula disse...

Da Noite
Um volta-face da luz
Persegue e segue o dia
Nas volutas imperecíveis
Do volutear as escarpas
O cerúleo clamor
De um começo, um abandono, de um recomeço


Sempre, muito, obrigado maré pelas tuas copiosas palavras

Canto Turdus Merula disse...

Piedade A. Sol

Difícil de saber que seria do mundo sem música...

Desejo-lhe uma boa semana!

Obrigado pela sua passagem