segunda-feira, 17 de maio de 2010

Trago de ontem


Trago de ontem

As mesmas imagens
Do passado e do futuro
Em sôfrego passo exausto
Exaurindo as mágoas
Em permanente passagem
No mesmo quadro do dia
Sob a mesma luz
Sob a mesma sombra
A mesma liturgia de instantes


Cobre-as o velame os meus olhares
Das dobraduras da plúmbea luz
Resguardo-me no canto
Ao leme o vento mantém o rumo
[...]
Sem se apartar do destino
Afasta a sorte do sonho

Nuno Teixeira de Sousa
17-05-2010

Sem comentários: