quarta-feira, 21 de abril de 2010

Refugo do refluxo do sonho

 
Pássaro Ferido

Dentro das palavras inscrevo
O único verbo reflexivo
O meu nome
Permeável a todas as palavras
Não foi gravado no altar dos deuses
O oráculo não pode providenciar a profecia
Que se abate sobre a terra do meu nome


Deito-me no chão côncavo das minhas mãos
Recolho-me no meu gesto total
Neste gesto único e completo de mim mesmo
Olho o imenso céu rendilhado
_____________Imortal ninho
Refúgio para cansaço do corpo
...
Refugo do refluxo do sonho












Em doze espaços
Desfaço a palavra que os lobos não se alimentam
Nem os deuses a veneram
Nos caminhos erráticos
Roubo palavras das mãos de Atena
Naquele instante o voo das palavras
Nas minhas próprias mãos levo-as ao sol
Para me proteger das luminescências de sombras incorporais
 
Nuno Teixeira de Sousa
21-04-2010

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

vim espreitar este e apenas posso dizer, que, é muito bom.

perfeito.

beij

Canto Turdus Merula disse...

Piedade A. Sol

Não podia deixar
Ao seu apenas perfeito dizer
Em seu visitar
Venho-lhe agradecer